Você está atualmente procurando os arquivos de março, 2011.

SUN TZU. A arte da guerra: os treze capítulos originais – Páginas 55 a 89 – Visão de Cleon Gostinski

Sun Tzu define princípios fundamentais sobre estratégias militares na antiguidade que podem ser associados ao contexto competitivo empresarial dos dias atuais.

No mapa conceitual, a seguir, uma visão perceptiva de interesse para a disciplina marketing estratégico:

Mais do que estrategista, Sun Tzu era um líder brilhante. Tinha qualidades excepcionais para a interpretação e ação frente aos mais complexos contextos.  Sua visão do mundo era orgânica, diferente dos seus oponentes que evidentemente implementavam suas ações em perspectiva objetiva. A base das reflexões de Sun Tzu era a análise dos pontos fortes e fracos, tanto dos oponentes como de si mesmo. A partir disto, definia diferentes possibilidades de confrontos a fim de sempre obter vantagens competitivas, obtidas através de manobras sempre meticulosamente planejadas.

Adicionar um comentário

SUN TZU. A arte da guerra: os treze capítulos originais – Páginas 13 a 54 – Visão de Cleon Gostinski

Sun Tzu define princípios fundamentais sobre estratégias militares na antiguidade que podem ser associados ao contexto competitivo empresarial dos dias atuais.

No mapa conceitual, a seguir, uma visão perceptiva de interesse para a disciplina marketing estratégico:

Usando uma lógica própria, mas também atrelada à rituais, ao misticismo e a códigos de conduta, o general Sun Tzu desenvolveu uma filosofia única para a Operação de Guerra, que envolvem fatores de análise estratégica e princípios claros para a tomada de decisões. Em conjunto, eles determinam posições e táticas a serem seguidas.  Estes ensinamentos que levaram Sun Tzu, partindo de uma pequena porção de terra, a conquistar praticamente todo o território chinês na antiguidade, podem ser extrapolados para a atual dinâmica competitiva entre empresas. Mais do que isso, a astúcia de Sun Tzu é chave para que se entenda as possibilidades de crescimento empresarial em acirradas posições de disputa.

Adicionar um comentário

BAUER, Ruben. Gestão da mudança: caos e complexidade nas organizações – páginas 150-221 – Visão de Cleon Gostinski

Bauer associa a teoria da complexidade ao contexto empresarial, definindo diferentes visões para as organizações no contexto atual.

No mapa conceitual, a seguir, uma visão perceptiva de interesse para a disciplina marketing estratégico:

Bauer considera que a normatividade é essencial para se estabelecer a coerência da atividade empresarial. Contudo, a Organização Casual Clássica, que tem como base este fundamento mostra-se um modelo em franco esgotamento.  Na verdade, a “Teoria da Transformação” discute novas formas de adaptação empresarial, que podem ser identificadas através de quatro tipos de organização: a Caótica, a Auto-organizante, a Auto-poiética e a Evolutiva por Saltos, que não são estanques entre si, pelo contrário, admitem configurações comuns, sempre dependendo da evolução e perfil de negócio.

Adicionar um comentário

BAUER, Ruben. Gestão da mudança: caos e complexidade nas organizações – páginas 63-149 – Visão de Cleon Gostinski

Para se compreender como as Associações Humanas podem se dar como Sistemas, Bauer propõe interessantes correlações que fundamentam a contestação do paradigma Cartesiano Newtoniano em favor de uma visão de complexidade.

No mapa conceitual, a seguir, uma visão perceptiva de interesse para a disciplina marketing estratégico:

Considerando as teorias de Maturana e Varela se compreende através da Autopoiesis que os indivíduos, a sociedade, o planeta Terra e até mesmo o Espaço Sideral estão subordinados a um sistema estratificado. Assim, as Associações Humanas como as organizações, as empresas, os grupos sociais e a família vivem em condição de autotranscendência. Na verdade, Bauer defende que vive-se em um paradigma de cenários encadeados e de mudanças contínuas, onde a comunicação promove, no âmbito das relações humanas, as condições de complexidade múltiplos estímulos espontâneos, induzidos e/ou aleatórios. Neste enfoque, a transdisciplinaridade pode capacitar para que se compreenda uma “ordem” relativa em um Estado Caótico. Considerando a existência de inúmeras variáveis se reconhece que a compreensão do universo de fenômenos a que todos estão sujeitos é extremamente limitada, mas que em função da identificação de propriedades emergentes em cada composto de variáveis é possível delinear atratores, responsáveis por resultados e desencadeamento das mudanças contínuas. Assim, se constrói o Caos Determinístico que implica na evolução, involução ou extinção dos sistemas.

Adicionar um comentário